Realizou-se ontem, 26 de Janeiro, a Assembleia Geral da APAD. Conforme previamente divulgado a ordem de trabalhos incluía a discussão e aprovação do Relatório & Contas da direção cessante; a discussão e votação de uma proposta de alteração aos Estatutos e Regulamento; e a eleição de novos órgãos sociais para o mandato de 2011/2012.

Relatório & Contas

O relatório de atividades e e as contas do exercício anterior foram apresentadas pelo presidente da direção cessante, João Nunes. Após esclarecimentos e discussão, e ouvido o parecer positivo do Conselho Fiscal, as contas foram aprovadas pela Assembleia, por unanimidade.

Alteração dos Estatutos e Regulamento

A proposta de alteração dos Estatutos e Regulamento foi também explicada e debatida. Após introdução de algumas alterações sugeridas pelos participantes na assembleia, foi votada e aprovada por unanimidade.

A principal alteração diz respeito às categorias de sócios, que passam agora a ser Efetivos, Candidatos e Honorários. Também as quotas foram atualizadas, para valor mais baixos dos anteriores. Ambas as alterações se destinam a promover a adesão de novos associados, com vista a uma maior dinamização da APAD. Os novos estatutos e regulamento já podem ser consultados na página dedicada neste site.

Eleição dos Órgãos Sociais

Por fim, realizou-se a eleição dos novos órgãos sociais. A única lista que se apresentou a votos foi eleita por unanimidade. Os órgãos sociais da APAD passaram pois a ser constituídos pelos seguintes elementos:

DIRECÇÃO:
Maria João Cruz, Daniel Ribas, Artur Ribeiro, Tiago Santos, Rui Vilhena, João Nunes (Presidente),

SUPLENTES:
Bernardo Camisão, Martin Dale e Gonçalo Galvão Teles

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL:
Carla Baptista, Nuno Artur Silva, Paulo Filipe Monteiro (Presidente)

CONSELHO FISCAL:
Isabel Medina, Pedro Flores, Rui Neto Pereira (Presidente)

Plano de atividades

A nova direção da APAD mantém a generalidade dos membros da direção anterior, acrescentando contudo dois novos membros – Maria João Cruz e Rui Vilhena –  que contribuirão para dinamizar a atividade da associação nos setores do teatro e da televisão.

A nova direção apresentou um plano de atividades ambicioso:

OBJECTIVOS GERAIS

  1. Continuar a representar os interesses e defender os direitos dos argumentistas e dramaturgos portugueses junto das instituições e parceiros sociais, nacionais e internacionais, e associações congéneres de outros países.
  2. Reforçar os laços com os associados atuais e conseguir novos associados.
  3. Promover a aproximação à sociedade estabelecendo parcerias e protocolos com escolas, empresas e festivais, e apoiando iniciativas privadas, particulares e institucionais.
  4. Apoiar a formação contínua dos argumentistas e dramaturgos, organizando oficinas, master classes, debates e outras actividades.
  5. Arranjar fontes alternativas de financiamento.

DEZ METAS A DOIS ANOS

  1. Realizar uma campanha de refiliação e angariação de novos sócios, de acordo com os novos estatutos e regulamento.
  2. Arranjar uma sede permanente.
  3. Efectuar um inquérito alargado sobre as condições de trabalho dos argumentistas em Portugal.
  4. Editar um Manual de Boas Práticas para a profissão de argumentista.
  5. Dinamizar o site e editar 6 números da revista online Drama
  6. Organizar pelo menos 2 oficinas de escrita fora de Lisboa.
  7. Assinar protocolos de cooperação com a AR, do Brasil, e a FAGA e ALMA, de Espanha.
  8. Organizar uma série de debates sobre as profissões de dramaturgo e argumentista.
  9. Organizar o 1º Encontro Nacional de Argumentistas.
  10. Desenvolver planos plurianuais de actividades relacionadas com o audiovisual e o teatro e apresentá-los ao ICA e à DGA para obtenção de apoio financeiro.

 

 

A assembleia decorreu nas instalações da SPA, que cedeu graciosamente o seu auditório, gesto que a APAD agradece reconhecidamente.